www.integracao.jor.br

06/04/2015 - 23:14
Obra da Corsan impede idosa de sair de casa em há três semanas


Uma cratera em frente a casa de dona Ana Fialho, 73
anos, no final da rua Érico Veríssimo, no Centro de
Esteio, está causando transtorno àquela moradora.
Cadeirante com duas pernas amputadas e cega em
função da diabetes, dona Ana não consegue sair de
casa para ir ao médico e já perdeu três consultas,
porque a cadeira de rodas não passa devido ao
estreitamento da passagem entre a cerca da casa e o
buraco, que seria o resultado de uma obra, que se
iniciou há mais de três semanas, realizada pela
empresa Porto Obras, terceirizada da Corsan, para a
restauração do esgoto pluvial. Segundo a moradora
Roxenia da Silva Fialho, neta de dona Ana, a
liberação da rua estava prometida para dois dias,
mas já se passou quase um mês. "Minha avó está
ilhada, em cárcere privado e minha família precisou
mudar de casa - no mesmo terreno - porque ela está
desabando", afirma a moradora que está residindo na
casa da avó.
Segundo o engenheiro fiscal da empresa, Fernando de
Barros, a profundidade e a instabilidade da área,
que fica junto a Estação de Tratamento da Corsan,
estão prejudicando os trabalhos. "A obra é
necessária para minimizar o problema das enchentes.
Por falha técnica, não conseguimos mensurar a
dificuldade para trabalhar neste local", destaca.
Ele alerta, ainda, que são vários pontos da rede
cloacal que precisam de revisão . "Vamos resolver o
mais breve possível o problema. Pensamos, inclusive,
abrir caminho para a avenida Presidente Vargas,
próximo ao novo empreendimento Alicante", disse. Na
cratera aberta, a água está acumulando e o perigo
cresce em função dos mosquitos, região muito
afetada. Os moradores vão aguardar uma solução
urgente por parte da Corsan.Estiveram no local a
Brigada Militar, a Patrulha Ambiental de Esteio
(Pipa) e o secretártio de Obras, José Luiz da Silva,
que garantiu cobrança efetiva da estatal.