As notícias da comunidade esteiense.
JORNAL ECO DO SINOS
01/04/2013 - 17:12
Dona Ins sobrevive cirurgia e apresenta diagnstico de cura

09/03/2013 - 15:30
Nossa conexo est cada vez maior!

09/08/2012 - 10:01
Tarso apresenta Conselho Estadual de Comunicao sociedade civil

09/07/2012 - 21:00
A tica de Tarso deveria nos contaminar

20/05/2012 - 22:19
A mdia est na berlinda

14/05/2012 - 08:00
Onde habita o problema?

07/04/2012 - 16:55
Para no andar em crculos

29/03/2012 - 19:52
Pra ser feliz

12/03/2012 - 23:15
O ar realmente necessrio?

12/03/2012 - 23:05
Dia Internacional da Mulher

Anteriores


25/11/2012 - 15:36 Imprimir a not�cia
A luz no fim do tnel, no exemplo de Milton

A luz no fim do tnel, no exemplo de Milton


Quando o pensador Flix Guattari redigiu sua obra, As trs ecologias nos trouxe uma ferramenta capaz de explicar a importncia da relao do homem consigo mesmo, em seu meio social e com o mundo que habita. O equilbrio que qualifica as relaes como sustentveis ou no. Uma pessoa quando tem um piti de dio tem passagem livre ao desequilbrio em sua ecologia pessoal. Tal situao se torna insustentvel ao longo da vida ao ponto de conduzir esse sujeito morte, por alguma doena psicossomtica. Se o sujeito comete um crime contra a sociedade em que vive, promove um desequilbrio insustentvel, que pode lhe custar a liberdade. O mesmo ocorre com a nossa relao, enquanto civilizao, com o meio ambiente. A sustentabilidade a garantia que teremos mais chances de continuar habitando este Planeta. Diante do ritmo de consumo da humanidade nos deparamos com um desequilbrio que pode custar a existncia da nossa civilizao. A luz no fim do tnel surge diante dos protocolos internacionais que procuram colocar o Planeta novamente em equilbrio, tal como o tratado de Kyoto e as conferncias internacionais como a Rio + 20. Porm, a luz no fim do tnel parece mais visvel quando convivemos com pessoas como Milton, que reside na ltima casa da Rua Pelotas, em frente ao Arroio Esteio. Ele, por si, sem entidade, sem governo, se sente responsvel pela limpeza e conservao da mata ciliar. Sente-se agredido ao ver a gua poluda por irresponsabilidade humana, e incansavelmente, tal como Dom Quixote luta contra moinhos, procura limpar. Seu exemplo contagia os vizinhos, que o admiram pela perseverana, tal como Airton Goulart. Eles valorizam as aes que buscam o equilbrio e a preservao do meio ambiente. Separam o lixo e disputam smbolos que consideram importantes, tal como a placa escrita por crianas em um trabalho realizado pela Escola Santos Dumont, que fica na frente da casa de Milton. As crianas fizeram esse trabalho maravilhoso e eu fao questo de conservar para motivar mais trabalhos assim, explica o incansvel Milton, que o exemplo vivo de atitudes que sinalizam uma luz no fim do tnel para a humanidade.