As notícias da comunidade esteiense.
JORNAL ECO DO SINOS
01/04/2013 - 17:12
Dona Ins sobrevive cirurgia e apresenta diagnstico de cura

09/03/2013 - 15:30
Nossa conexo est cada vez maior!

25/11/2012 - 15:36
A luz no fim do tnel, no exemplo de Milton

09/07/2012 - 21:00
A tica de Tarso deveria nos contaminar

20/05/2012 - 22:19
A mdia est na berlinda

14/05/2012 - 08:00
Onde habita o problema?

07/04/2012 - 16:55
Para no andar em crculos

29/03/2012 - 19:52
Pra ser feliz

12/03/2012 - 23:15
O ar realmente necessrio?

12/03/2012 - 23:05
Dia Internacional da Mulher

Anteriores


09/08/2012 - 10:01 Imprimir a not�cia
Tarso apresenta Conselho Estadual de Comunicao sociedade civil
Charles Scholl
Consultor de comunicao
agncia esparta


Por mais uma oportunidade me vejo no meio do debate da criao de um conselho de comunicao no Brasil. Quando foram edificadas e pavimentadas as condies da criao do Conselho Nacional de Comunicao, eu trabalhava na Cmara Federal muito prximo ao debate pela relao que tinha com os jornalistas Daniel Hertz e Marcos Rolim. As polticas pblicas engendradas surgiam no refluxo da criao de um frum nacional pela democratizao da comunicao. O referido debate no abordava a questo da internet e acabou se consolidando como uma mesa redonda em que representantes dos grandes grupos de comunicao se enfrentavam com os representantes do governo. Experincia lamentvel que deixou o povo brasileiro mais uma vez como expectador.
Atendi ao convite do Governador Tarso Genro na condio de editor do Blog da Esparta Ao Ttica e Estratgia, empresa que presto consultoria. A proposta apresentada por Tarso Genro desarmou os crticos ao conselho nacional e colocou o segmento mais revolucionrio do nosso tempo ao lado do Governo. Os blogueiros so a sntese da fragmentao social do nosso tempo, porm com capacidade de difundir opinio e de ser referncia em grandes massas de leitores. Emerge a anttese teoria hipodrmica da comunicao, que tem como princpio a produo e distribuio de informaes, em um sistema em que o ouvinte, telespectador possui uma participao radicalmente passiva. Os blogueiros so a participao ativa daquilo que no estava combinado entre os vares da provncia. So compostos por uma massa crtica desorganizada frente aos partidos polticos ou qualquer entidade ideolgica. Nessa caracterstica que est a fora e a fragilidade deste movimento, classificado pelos tericos conservadores de anarquista. Uma ignorncia.
A radicalidade do processo democrtico presente na ao do governo ganhou a simpatia dos blogueiros, que passaram a vislumbrar um mesmo discurso e se enxergar pela primeira vez em uma propostas de poltica pblica. Falar da criao do Conselho Estadual de Comunicao Social no Jornal Eco do Sinos um gesto da mais absoluta coerncia com o trabalho desempenhado pelo veculo de comunicao junto a sua comunidade nos ltimos 26 anos. Nesse perodo, o jornal comunitrio esteve sempre focado na melhor qualidade da opinio pblica, no aprofundamento dos processos democrticos, com o reconhecimento do trabalho e da participao das pessoas em seu meio social.
A partir do dia 10 de agosto, Tarso Genro se comprometeu de abrir o debate sobre o texto que nos foi apresentado no dia 03. Posteriormente a isso, afirmou que sua base poltica presente na Assembleia Legislativa estar em sintonia e disposta a fazer o debate no parlamento gacho. A depender da conjuntura e do anseio social pela Criao do Conselho Estadual de Comunicao, a proposta pode ser apresentada em Regime de Urgncia para ser apreciada ainda em seu governo. Porm, destacou que no tem pressa e nem mesmo a disposio de pleitear vagas nesta instncia no governamental que est propondo criar. Assim, o governador deixa claro que o debate com o segmento da Comunicao Social e com o Governo continuar sendo feito pela Secretaria de Comunicao e Incluso Digital e que o Conselho Estadual de Comunicao Social vem para ser um espao democrtico de participao da sociedade civil. Um debate que merece ganhar o Brasil.

______________________________________________________

Os avanos do Brasil na rua Santana em Esteio

Charles Scholl
Consultor de comunicao
agncia esparta

A rua Santana, que inicia na 24 de agosto e se estende at a rua Olga Benrio Prestes. Atualmente, um dos centros comerciais mais ativos e prsperos de Esteio. A rua cruza centros residenciais importantes e significativos do nosso tecido social. De um lado temos os bairros Esperana e So Jos, que fazem limite com o Arroio Sapucaia. Do outro, temos os bairros Esplanada e Vila Olmpica. Essa regio historicamente residencial passou por grandes mudanas nas ltimas dcadas. A melhora econmica que afetou as famlias brasileiras nos ltimos 10 anos est na base dessas mudanas. Ao longo da rua consolidaram-se empreendimentos comerciais de todos os tipos, porm, ao contrrio do que ocorreu na Avenida Presidente Vargas, os empreendimentos da rua Santana so pequenas empresas que se instalaram e prosperaram criando uma vida comunitria sem similar na cidade.
Tal realidade salta aos olhos com a vida social que a atividade comercial proporciona nos finais de semana. Os prestadores de servio do setor da mecnica automotiva recebem clientes oriundos de toda a cidade e de outros municpios, demonstrando qualidade e confiana nos servios prestados. Os comrcios especializados em frutas e verduras abastecem as famlias e servem de local de encontro entre vizinhos. As lancherias, restaurantes, farmcias e supermercados incrementam a oferta de possibilidades de consumo para toda essa comunidade. As floriculturas, sales de beleza, lan hause, mesclam-se com outros prestadores de servios, tais como massoterapeutas e inclusive o hotel Avenida, que antigamente funcionava na Presidente Vargas est em plena atividade na rua Santana.
Essa riqueza merece ser compartilhada com toda a cidade. Pois a maturidade dos empreendimentos nos mostra que o comrcio e o servio da rua Santa tem condies de atender os demais bairros e cidades do entorno. A movimentao econmica nessa regio tem consequncias sociais diretas para nossa cidade. Partimos do princpio que as riquezas econmicas que giram em torno deste polo de comrcio e servios, alm de constituir um shopping ao cu aberto distribuem recursos para uma quantidade maior de famlias por se constituir de pequenas e microempresas. possvel fazer tal afirmao pela natureza plural dos empreendimentos que . Essa a mgica que as pequenas empresas produzem em nosso tecido social e torna a rua Santana um dos espaos mais agradveis para passear aos finais de semana em Esteio. Experimente voc fazer esse passeio aos sbados pela manh. Tem lugar para estacionar e voc pode caminhar tranquilamente com sua famlia. Vale conferir.