As notícias da comunidade esteiense.
JORNAL ECO DO SINOS
01/04/2013 - 17:12
Dona Ins sobrevive cirurgia e apresenta diagnstico de cura

09/03/2013 - 15:30
Nossa conexo est cada vez maior!

25/11/2012 - 15:36
A luz no fim do tnel, no exemplo de Milton

09/08/2012 - 10:01
Tarso apresenta Conselho Estadual de Comunicao sociedade civil

09/07/2012 - 21:00
A tica de Tarso deveria nos contaminar

20/05/2012 - 22:19
A mdia est na berlinda

14/05/2012 - 08:00
Onde habita o problema?

29/03/2012 - 19:52
Pra ser feliz

12/03/2012 - 23:15
O ar realmente necessrio?

12/03/2012 - 23:05
Dia Internacional da Mulher

Anteriores


07/04/2012 - 16:55 Imprimir a not�cia
Para no andar em crculos
Joo Machado
Jornalista
joao@ecodosinos.com.br


Conta-se que, numa lenda da Grcia antiga, que Sisifo era um heri que tinha como castigo rolar uma pedra montanha acima eternamente. Quando a tal pedra (que na histria mtica era uma enorme rocha de forma arredondada) chegava no topo, ela rolava montanha abaixo novamente.
Nesta semana, trazemos na pgina 4 uma reportagem sobre os andarilhos da cidade de Esteio. Eles saem de circulao, vo dar uma voltinha na quadra e logo, logo, em seguida retornam para o seu verdadeiro lar: as ruas.
Foram feitas reunio com a Comisso de Segurana da Cmara de Vereadores, composta pelos vereadores Luiz Duarte (PTB) e Harri Zanoni (PSB), Executivo, Brigada Militar e Ministrio Pblico, na ltima quarta-feira (21), sobre a situao dos andarilhos em Esteio, ficou acertado que a secretaria de Assistncia Social deve intensificar as abordagens na rea dentro dos prximos dias.
O que poderia ser feito para resolver este problema crnico que j assola no s a nossa cidade, mas o pas inteiro seria a incluso destas pessoas que, segundo os comerciantes da cidade de Esteio no passam de ladres, que assaltam seus clientes e que infestam as ruas da nossa cidade.
Ainda sobre o tema para no andar em crculos: Na coluna aqui ao lado, o importante protagonista da cena noturna e cultural de Esteio, Paulo Oliveira, escreve sobre a j saudosa Paideia, um espao noturno que proporcionou que muitos agentes culturais de Esteio pudessem mostrar o seu trabalho e conquistar, assim, um lugar lua.
Para no andarmos em crculos temos que nos humanizar. Quando um espao cultural do porte da Paideia fecha, uma lacuna certamente se abre nos saudosos portais de nossos coraes. Os herois gregos e brasileiros encontraro outros cenrios para suas apresentaes, mas levaro o emblema da Paideia estampado tal medalha de honra em seus orgulhosos peitos.
Paulo Oliveira versado em arte grega e o ttulo deste Editorial e a citao da lenda de Sisifo foram escritas em homenagem a ele. Certamente, ele faz a sua parte e no rola pedra sem antes alicer-la nos pilares bsicos da cultura.